m

A luz iluminava de forma branda a sala, mas mesmo assim se podia ver que algo naquele jantar significava muito mais do que uma mesa arrumada. O significado daquela pintura que demonstrava um jantar judaico na época medieval celebrando o “Pessach”, ou a saída dos judeus na condição de escravos do Egito, me remeteu ao conceito de liberdade, pois para entendermos o que é ser livre, precisamos conhecer o que é a falta de liberdade.

No Brasil vivemos num regime democrático e por sorte não sofremos privações dos aspectos mais amplos da essência do que chamamos de liberdade, até diante das escravidões sociais estamos avançando através da inclusão social, da melhor participação dos hipossuficientes na melhoria da renda familiar devido à pujança da nossa economia. Liberdade em uma democracia não significa apenas o livre direito da expressão, mas a possibilidade de uma dignificação da vida, o que não existe nos regimes de exceção ou nas escravaturas. 

Uma imagem de uma simples tela de uma pintura a óleo, de celebração à liberdade numa época medieval, demonstra que a liberdade, como o vento, vem e vai a diversas direções. Portanto, o ato de sempre relembrarmos o que é ser livre, pode-se por vezes ser acompanhado da emoção que varia entre um ato religioso e acima de tudo social. 

Mas como nada na sociedade é perfeito, por mais que lutemos para sermos livres, justos e éticos, esbarramos nos efeitos adversos por causa daqueles que integram a representatividade na democracia, daqueles que, vestidos e imbuídos de poder político, nos decepcionam e transformam a democracia num regime pequeno e perigoso. O episódio lamentável que envolveu o senador Demóstenes Torres é um exemplo típico de um dos defeitos da democracia: político implacável contra a corrupção, ele tinha o perfil do homem ético e se comportava como um incorruptível homem de bem - e talvez seja mesmo sócio da holding criminosa de Cachoeira, talvez por isso a democracia seja, enfim, o melhor regime, que nos leva a desvendar o que é a má política, e nos impele a sermos cautelosos na escolha dos nossos representantes. 

 A luz que iluminava a sala na pintura que me impressionou pode simbolicamente significar episódios cinzentos, mas a liberdade, a democracia, apesar de seus representantes faltosos continua a ser celebrada porque quase sempre acabamos nos libertando dos nossos Egitos políticos que tentam ainda hoje nos escravizar....

Fernando Rizzolo.

 

Comente, participe...

 

Por favor, aguarde enquanto preparamos sugestões de leitura para você...

Blogs com notícias similares:

Atualizado um minuto atrás.

Por Linhadanoticia em Opinião e Notícias desde 19/01/2014

http://reportergostosa.dihitt.com Linha da Notícia

Linha da notícia a gente se vê por aqui!

Atualizado 10 horas atrás.

Por Gidel em Opinião e Notícias desde 07/06/2012

http://icemcaraubas.dihitt.com Icém Caraúbas

Somos um blog de notícia regional, nacional e internacional

Ranking 1406º

Atualizado 6 minutos atrás.

Por Willams em Opinião e Notícias desde 28/12/2013

http://httpwwwwillamsnetcom.dihitt.com Willamsnet

a noticia em primeiro lugar

Sua opinião:
comentou em 28/04/2012 23:33
isso ai
comentou em 29/04/2012 04:04
As vezes temos democracia de menos e decepções de mais. Porém a liberdade vive e sempre viverá nos corações dos românticos e dos insatisfeitos. Valeu William